Gleisi Hoffmann vai coordenar discussões sobre violência escolar

27-04-2011 10:35

 

A Comissão de Educação, Cultura e Esporte (CE) aprovou requerimento apresentado pela senadora Gleisi Hoffmann (PT) propondo a criação de uma Subcomissão Temporária de Enfrentamento à Violência no Ambiente Escolar. O documento também foi assinado pelas senadoras Angela Portela (PT-RR) e Ana Rita (PT-ES).

 

O objetivo é realizar um ciclo de diálogos, no prazo de seis meses, para analisar e debater as relações nas escolas e apresentar propostas ao Poder Público, em todas as esferas. “Para agilizar os trabalhos, acordamos com o senador Paulo Paim (PT-RS), que preside a Comissão de Direitos Humanos e Legislação Participativa (CDH), que os trabalhos serão conjuntos. Além de mim, as senadoras Angela e Ana Rita serão titulares”, explica Gleisi. Como suplentes foram indicados a senadora Lídice da Mata (PSB-BA) e os senadores Wellington Dias (PT-PI) e Inácio Arruda (PCdoB- CE).

 

Intitulado “Relações do Ambiente Escolar – Em Busca de uma Sociedade Educadora”, a Subcomissão promoverá mesas de debates com convidados sobre os seguintes painéis, entre outros, a serem aprovados pelos seus membros: Ambiente escolar; Família e escola; O papel da mídia na formação educacional; Práticas que mudam a realidade. As discussões devem ocorrer às segundas-feiras.

 

Para Gleisi, o Senado Federal deve assumir a sua parcela de responsabilidade na condução das discussões para esse problema social. Lembrando a tragédia recente na escola de Realengo, no Rio de Janeiro, ela diz que não só o bullying precisa ser combatido, mas qualquer tipo de violência física e ou emocional que crianças e jovens vivenciam na escola e também no seu cotidiano, em casa e na rua.

“Em que nós, pais e mães, estamos errando? Quais valores estão se deteriorando a ponto de influenciar em tamanha violência? Quais são os conteúdos indevidos que as diversas formas de mídia têm levado as nossas crianças? Qual a carência de políticas públicas para sustentação e apoio à célula familiar e à escola que pode ser suprida para contribuir para a educação dos filhos? Há um sem-número de indagações que precisam ser discutidas com especialistas, professores, autoridades públicas, políticos, comunicadores, vítimas da violência, representantes de diferentes cultos religiosos, lideranças estudantis, enfim, atores da sociedade que têm grande contribuição a dar a esta Comissão de Educação, Cultura e Esporte para que o Senado Federal possa dar uma resposta consistente para o enfrentamento à violência no ambiente escolar”, diz a senadora.